Nesta edição anunciamos um bastão que está sendo repassado. Desde sua edição inaugural em 2012, David Taylor serviu como nosso Editor, guiando habilidosamente a publicação desde suas discussões conceituais após o encontro na Cidade do Cabo em 2010 até seu papel atual como a publicação principal do Movimento de Lausanne, publicada em inglês, espanhol, português e francês. A visão e percepção de David em dar a forma e organizar os artigos de autores tão diversificados do mundo todo transformaram a Análise Global de Lausanne em uma fonte confiável de perspectiva e orientação para líderes cristãos em mais de 200 países e territórios. Somos gratos que o David pretende permanecer no Conselho Editorial como voluntário.

É com grande alegria que damos as boas-vindas à Loun Ling Lee como nossa nova editora. Com experiência como professora, escritora e editora, Loun já serviu como Professora de Missão na Redcliffe College, no Reino Unido, Diretora de Treinamento da AsiaCMS, na Malásia, Mobilizadora de missões com a OMF e Pastora na Grace Singapore Chinese Church.

É com profunda gratidão que expressamos nossa apreciação pelos mais de sete anos que David Taylor serviu como Editor da AGL, e com alegria que olhamos para o crescimento futuro e impacto da publicação com nossa nova Editora, Loun Ling Lee, que escreve a Visão Geral desta edição.

– David W. Bennett, Diretor Associado Global de Colaboração e Conteúdo, Movimento de Lausanne

O Pacto de Lausanne estabelece que ” Regozijamo-nos com o alvorecer de uma nova era missionária. O papel dominante das missões ocidentais está desaparecendo rapidamente. Deus está levantando das igrejas mais jovens um grande e novo recurso para a evangelização mundial, demonstrando assim que a responsabilidade de evangelizar pertence a todo o corpo de Cristo. (Pacto de Lausanne pt 8).

Nesta edição da Análise Global de Lausanne, temos autores de diferentes partes da igreja global que abordam questões estratégicas relacionadas à missão mundial. Melody J. Wachsmuth é investigadora de missões e vive na Croácia. Ela possui uma paixão pela união entre ciganos e não-ciganos em parcerias saudáveis pela missão, para “compartilharmos nossas vidas diversas ao manifestar a nova humanidade em Cristo.” Ela nos ajuda a entender a necessidade de tais parcerias em uma mesa-redonda onde todos têm a oportunidade de contribuir, e todos serão ouvidos.

No mesmo espírito de união do corpo de Cristo, Dan Sered e Simon Stout, que servem ao Jews for Jesus (“Judeus por Jesus”, em tradução livre), afiam nossa percepção do problema espiritual do antissemitismo ao redor do mundo. Os judeus foram perseguidos na história da igreja. Eles ainda sofrem estigma entre os cristãos atualmente. “Como membros do corpo de Cristo, devemos não só reconhecer as falhas daqueles que vieram antes de nós, mas também estar dispostos a combater o antissemitismo,” dizem Dan e Simon. Um passo prático que os autores sugerem é estendermos as mãos e construirmos “relacionamentos entre nossas comunidades eclesiásticas e a comunidade judia local.”

O legado de Lamin Sanneh, um historiador distinto, estudioso do cristianismo mundial e defensor do diálogo inter-religioso, não poderia ser mais relevante em nosso mundo atual tão complexo. Wanjiru Gitau, pesquisadora sênior na St. Thomas University, ressalta seu legado, especialmente o tema de tradução da mensagem de Cristo para o idioma e cultura de quem a recebe. Seu artigo desafia os teólogos contemporâneos a “guiar as comunidades cristãs a discernir os sinais dos tempos”, “fazendo o evangelho inteligível” a “um mundo muito transformado”, como fez Lamin Sanneh.

Quando O Pacto de Lausanne foi escrito, após o Primeiro Congresso sobre Evangelização Mundial em 1974, as pessoas envolvidas não tinham como imaginar o fenômeno atual do movimento missionário chinês como sendo parte da “nova era de missões”. No artigo “O futuro incerto das igrejas urbanas chinesas“, Thomas Harvey analisa as tendências das igrejas urbanas e das missões na China moderna e nos oferece uma nova visão e perspectiva de um movimento missionário vibrante apesar do ambiente hostil. Thomas, reitor acadêmico do Oxford Centre of Mission Studies, nos lembra que “à medida que o trabalho missionário ocorre em países além das fronteiras dos países cristãos ocidentais, a dinâmica da missão e sua relação com as potências seculares e religiosas são incertas e frequentemente enfrentam fortes ventos contrários à medida que se esforçam para avançar.”

Esperamos que esta edição nos encoraje a ver o que Deus está fazendo na igreja do mundo todo, além do cristianismo ocidental, assim como nos motiva a participar da missão de Deus para o mundo atual. A Análise Global de Lausanne busca ativamente autores diversos para refletir a riqueza da comunidade mundial de crentes. Buscamos cobrir uma vasta gama de assuntos contemporâneos que são do interesse desta comunidade, para que juntos, como o corpo de Cristo, possamos cumprir a tarefa de evangelização que Deus nos confiou.

A Análise Global de Lausanne está disponível também em inglês, francês e espanhol. Envie suas perguntas e comentários sobre esta edição para [email protected]. A próxima edição será lançada em julho.

Loun Ling Lee serve como Editora da Análise Global de Lausanne. Ela possui experiência como Professora de Missão na Redcliffe College (Reino Unido), Diretora de Treinamento da AsiaCMS (Malásia), Diretora da MSI Professional Services (Malásia), Mobilizadora de missões com a OMF e Pastora na Grace Singapore Chinese Church (Cingapura).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*