Disponível em: English (Inglês) | Français (Francês) | Português | Español (Espanhol) |

Esta Visão Geral foi escrita em meio a uma crise global devido à pandemia da COVID-19. O termo chinês para crise é formado por duas palavras: wéi jī, que significa ‘perigo’ e ‘oportunidade’. A pandemia global certamente abalou não só o mundo, mas também a igreja. Alguns se referem a ela como um “despertador divino”. Vamos aproveitar esta oportunidade para repensar novas formas de sermos igreja, reexaminar nossos paradigmas missiológicos, redescobrir nossa vocação como povo do reino, dando esperança a um mundo sofredor?

Apesar de três dos artigos desta edição terem sido escritos antes de o coronavírus explodir no palco mundial, eles são incrivelmente relevantes para esses tempos difíceis. Eu gostaria de agradecer os autores que atualizaram seus artigos frente à situação atual. O artigo final aborda diretamente a COVID-19 e o dilema que muitos missionários enfrentam – permanecer ou partir em tempos de risco?

As igrejas ao redor do mundo estão tendo que usar sua criatividade para cultos de louvor, programas de discipulado e atividades em grupo, contando com a ajuda da tecnologia moderna. Algumas tentaram levar o evangelho para dentro dos lares através de aulas evangelísticas sobre a Bíblia e estudos bíblicos via WhatsApp, além de sessões de aconselhamento via Zoom. Em seu artigo “Mentoria móvel de missões na era COVID-19“, DJ Oden, um trabalhador multicultural do sudeste asiático com a PIONEERS, explica como os dispositivos móveis estão sendo usados com segurança e eficácia para “monitorar e apoiar trabalhadores de campo semialfabetizados em contextos de acesso criativo”. Ele nos mostra a abundância de oportunidades para o compartilhamento do evangelho usando essas novas ferramentas, no entanto ainda há desafios como a formação de confiança, questões de segurança e desenvolvimento de habilidades. Talvez queiramos seguir seus conselhos.

Phill Butler nos lembra em “Quem recebe o crédito em esforços colaborativos?“: “Desde seu nascimento em 1974, uma das características que distingue o Movimento de Lausanne é o seu foco em conectar o povo de Deus.” “Na pandemia da COVID-19 temos visto um nível intenso de colaboração acontecendo.” Quais são os fundamentos vitais para permitir uma colaboração efetiva, bíblica e prática? Phill, Conselheiro Estratégico Sênior da visionSynergy, enfatiza a confiança como o elemento chave. Com base nos ensinamentos de Jesus, ele sugere medidas práticas para a construção de confiança e o compartilhamento efetivo do crédito. Como o Movimento Lausanne envolve a igreja global, ele corretamente nos adverte para tomarmos nota de sua diversidade cultural e de assegurarmos “igualdade de condições”. Prestamos mais atenção no compartilhamento de responsabilidades em parcerias e redes, mas não criamos “uma atmosfera adequada que encoraja o compartilhamento do reconhecimento.” Esperamos que através das lições que aprendemos durante essa crise da pandemia, nossos paradigmas missiológicos mudem o foco do indivíduo para a comunidade, e do paroquialismo ao globalismo.

Pela primeira vez, encomendamos um artigo em português, traduzido para o inglês para a Análise Global de Lausanne: “Movimento brasileiro conecta a juventude cristã com a missão de Deus” por Lissânder Dias, jornalista e um dos membros fundadores do Movimento Vocare. “O Movimento Vocare já é reconhecido no Brasil por lideranças na área de missões como uma iniciativa bem-sucedida de mobilização e conexão de jovens na Missão de Deus,” escreve Lissânder. É um movimento missionário Brasileiro que os ajudou a explorar e desenvolver sua vocação ou chamado na missão de Deus, dando-lhes sentido à vida. “Com a história, iniciativa e testemunha,” e o grande número de jovens “envolvidos em ministérios de suas igrejas locais” resultando de seu envolvimento com o Movimento Vocare, “somos tomados de esperança de que a Missão da Igreja brasileira, por meio do sopro do Espírito Santo, tem sido renovada pelos jovens,” Lissânder conclui. Isso ressoa de forma poderosa com a missão da Geração de Líderes Jovens de Lausanne (GLJ): queremos que cada líder jovem se desenvolva em seu chamado e que tenha um papel importante no avanço da missão mundial de Deus.

Considerando a crise mundial causada pela COVID-19, muitos trabalhadores transculturais de missões estão ponderando sobre “Durante uma pandemia, os missionários devem partir ou permanecer?” Como o autor Kirst Rievan diz, “é uma oportunidade de repensar nossa missiologia com relação ao risco.” Neste artigo, ele usa conceitos de “gerenciamento da polaridade e modelos mentais para explorar se nossa missiologia atual do risco permanece verdadeira”. Existe um equilíbrio saudável entre “evitar o risco” e “sacrificar-se ou sofrer”? Essa pergunta não é leviana, mas sim muito pessoal e complexa para Kirst e sua esposa que enfrentavam este dilema na Ásia quando o artigo foi escrito. Eles estão servindo na Ásia com uma organização global de desenvolvimento baseado na fé. Para concluir, Kirst escreve: “A crise da COVID-19 poderá reinicializar os modelos mentais que usamos atualmente para missões estrangeiras com relação ao risco.” Como isso impactará nossa abordagem à questão mais ampla de vulnerabilidade e missão para nossos missionários?

Esperamos que esta edição tenha lhe feito pensar e desafiado os líderes de igrejas e missões ao redor do mundo. Que não percamos essa oportunidade de sermos um farol da luz de Cristo durante este tempo de escuridão e além.

A Análise Global de Lausanne está disponível também em inglês, francês e espanhol. Envie suas perguntas e comentários sobre esta edição para [email protected]. A próxima edição será lançada em setembro, nela abordaremos mais questões de longo prazo relacionados a pós-pandemia que afetam a igreja mundial e missões.

Loun Ling Lee serve como Editora da Análise Global de Lausanne. Ela possui experiência como Professora de Missão na Redcliffe College (Reino Unido), Diretora de Treinamento da AsiaCMS (Malásia), Diretora da MSI Professional Services (Malásia), Mobilizadora de missões com a OMF e Pastora na Grace Singapore Chinese Church (Cingapura).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*