Talvez quando Jesus ordenou a grande comissão, ele sabia que muitos séculos adiante, uma amizade entre dois homens seria o estopim de uma parceria sem precedentes entre as agências de distribuição e tradução da Bíblia, e através dessa parceria teríamos a esperança da evangelização de todas as nações.

Em 1989, líderes cristãos do mundo todo se encontram mais uma vez em um espírito de amizade para o Segundo Congresso Mundial sobre Evangelização Mundial (doravante, Manila 1989), uma continuação do encontro de 1974 de Billy Graham em Lausanne, Suíça.

Dos 45 tópicos diferentes oferecidos no congresso, um quase não fez parte da programação: distribuição e tradução da Bíblia. O tópico não havia sido incluído no planejamento inicial do congresso pois assumia-se que a primazia das Escrituras na evangelização mundial era óbvia.

“Como membro novo do Comitê de Lausanne, eu tive medo de questionar esse pressuposto,” diz Fergus Macdonald, que na época atuava como Secretário Geral da Sociedade Bíblia da Escócia. “Por providência divina, o Comitê concordou em adicionar uma oficina adicional ao congresso.”

O próprio Macdonald liderou a oficina, juntamente com John Bendor-Samuel, Vice-Presidente Executivo da SIL International na época. Os dois homens, que mal se conheciam antes do encontro, rapidamente criaram um vínculo e se tornaram amigos para a vida toda. Alinhando a ênfase dada pelo Congresso de Manila 1989 à parceria e colaboração, eles decidiram convidar líderes de diversas agências de tradução da Bíblia a se reunirem, compartilharem suas perspectivas, e a escutarem uns aos outros.

O que eles pediram dos participantes foi incomum. O setor da distribuição e tradução da Bíblia sempre sofreu com desunião e falta de colaboração. As agências concorriam sobre doadores e tinham opiniões muito diferentes sobre questões como direitos de tradução e métodos preferidos para distribuição em nações de acesso restrito, distanciando as organizações. Quase sempre, cada uma trabalhava sozinha.

Macdonald se lembra, “Durante a semana das oficinas tínhamos entre 40 e 50 participantes, muitos dos quais eram líderes de agências bíblicas. Nossos números contrastavam com as centenas de participantes na oficina ao lado liderada por John Wimber sobre Evangelização Poderosa. Mas, os números relativamente modestos não nos desencorajaram.”

Apesar da participação modesta, da história de rivalidade e o fato que o tópico foi adicionado de última hora, algo lindo aconteceu. “Havia uma sensação da presença do Senhor durante cada dia na oficina que reforçou a crença de que tínhamos mesmo que estar juntos,” diz Macdonald. “Durante nossa última oficina, o pessoal das agências bíblicas disse: ‘Foi ótimo! Precisamos fazer isso de novo.'”

Decidimos por unanimidade que nos encontraríamos no ano seguinte em Horsleys Green, Inglaterra, no centro britânico da SIL/Wycliffe, onde representantes de mais de doze agências bíblicas concordaram em organizar um fórum anual para encorajar a cooperação e minimizar a competitividade desnecessária. Nasceu então o Forum of Bible Agencies International (FOBAI, em tradução livre: Fórum Internacional de Agências Bíblicas), com Macdonald e Bendor-Samuel como seus primeiros Co-Presidentes.

“É importante reconheceremos que estabelecemos uma mesa redonda, não outra agência missionária,” diz Macdonald. “É claro que os desafios não deixaram de existir, mas agora existe um fórum onde podemos interagir uns com os outros sentados ao redor da mesma mesa e não por cima de grades.”

A lista de participantes da primeira mesa redonda do FOBAI incluiu delegados da Wycliffe Bible Translators e suas organizações parceiras: Summer Institute of Linguistics, Portas Abertas, Sociedades Bíblicas Unidas, Scripture Union, Living Bible International (atualmente Tyndale House Publishers), Bible League International, Gideões do Reino Unido e outros. Atualmente a FOBAI é uma aliança com mais de 35 agências bíblicas internacionais e outras organizações missionárias que trabalham em mais de 120 países ao redor do mundo.

Cada uma dessas organizações acredita que o acesso à Bíblia, como primeira testemunha ao Senhor Jesus Cristo, é indispensável para a evangelização mundial. Como temos no Compromisso da Cidade do Cabo:

“Nós amamos a Bíblia como a noiva ama as cartas do seu marido, não pelo papel em si, mas pela pessoa que fala através dela. A Bíblia nos dá a revelação do próprio Deus de sua identidade, caráter, propósitos e ações. É a principal testemunha do Senhor Jesus Cristo. Ao lê-la, nos deparamos com ele através do seu Espírito com grande alegria. Nosso amor pela Bíblia é uma expressão do nosso amor por Deus” (I-6).

Apesar de séculos de atividades missionárias, existem muitas pessoas ao redor do mundo que ainda enfrentam barreiras em seu relacionamento com o Criador porque as Escrituras não existem em uma forma que elas possam entender. Dos quase 7,350 idiomas conhecidos, a Bíblia completa só foi traduzida para 692 delas.

Nas reuniões anuais do FOBAI, delegados de cada uma das agências se encontram para abordar essa grande preocupação, trabalhando juntos para identificar necessidades de tradução e adotar uma perspectiva global na definição de prioridades. O FOBAI também promove ativamente programas de defesa e engajamento com as Escrituras, focadas em ajudar as igrejas a enfrentarem o desafio apresentado pela queda nos níveis de leitura da Bíblia entre os cristãos no ocidente.

Com o passar dos anos, o FOBAI ajudou a projetar um curso coletivo para as diversas agências bíblicas ao redor do mundo: em 1994 o fórum decidiu que as agências deveriam buscar mais colaboração em níveis regionais ou nacionais, assim como uma melhor conexão com as igrejas; em 2002, o fórum decidiu ser mais estratégico colhendo dados, prezando pela advocacia, níveis de performance, e treinamento. Nos anos mais recentes, grupos de desenvolvimento foram formados para engajamento com as escrituras, necessidades dos surdos e mídia.

“Eu suspeito que a chave do sucesso do Fórum, sob Deus, é que é um fórum, não um consórcio, apesar de termos considerado esse termo quando começamos,” diz Macdonald, que agora é o presidente emérito do FOBAI, em sua mais recente reunião em maio de 2019. “Como um fórum o FOBAI não se impõe sobre as agências que são parte, mas sim ajuda a facilitá-las ao cumprirem suas missões.”

Quando Jesus ordenou aos seus discípulos que levassem o evangelho aos confins da terra, ele sabia que isso significava que sua Palavra teria que ser traduzida para outros idiomas, ouvida, vista e sentida, e que precisaríamos de formas criativas e claras para conectarmos as pessoas com a Palavra. Ele sabia que isso era uma tarefa para mais do que somente uma pessoa, uma cultura ou uma organização; que iria requerer o trabalho de muitos e eles teriam que trabalhar juntos.

Ore conosco

Por Fergus Macdonald

Deus todo poderoso e pai de amor, agradecemos pela Palavra que Jesus nos ensinou que é a semente do teu reino. Que a Palavra, à medida que ela se espalhe ao redor do mundo, cumpra com teus propósitos e não retorne vazia. Que o Espírito Santo capacite milhões de homens e mulheres, jovens e crianças a vivenciarem seu poder transformador. Que teu povo, no mundo todo, levante suas orações e recursos financeiros para acelerar a tradução das Santas Escrituras para cada idioma e todas as formas de mídia.

Sara Kyoungah White é a Editora de Comunicações do Movimento de Lausanne. Ela atualmente vive em Grand Rapids, Michigan, nos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*